PAULO FREIRE E O ANALFABETISMO SOCIOLÓGICO

Por uma Sociologia dos oprimidos

Autores

  • Ivan Penteado Dourado UDESC PPGE

Palavras-chave:

Ensino de Sociologia, Paulo Freire., Analfabetismo sociológico, Sociologia dos oprimidos

Resumo

A presente discussão, de ordem teórica e bibliográfica, retrata os ganhos formativos e pedagógicos, defendidos por Paulo Freire, para pensar o ensino de Sociologia voltado à humanização e autonomia. Tendo como base o passado histórico brasileiro (da quase inexistência da Sociologia no currículo escolar) partimos de uma realidade fundante que identificamos, aqui, como analfabetismo sociológico. A presente pesquisa identifica a necessidade de articulação do ensino sociológico dentro de novos parâmetros estratégicos no espaço escolar. Identifica-se, também, a necessidade de reconhecimento de uma posição política na prática pedagógica, na seleção e no uso pedagógico dos conhecimentos que serão mobilizados em aula. A Sociologia possuiria, nessa proposta, um amplo potencial de movimentar a curiosidade epistêmica frente aos fenômenos sociais. Assim, a conclusão da presente pesquisa aponta para uma responsabilização dos educadores do campo do ensino de Sociologia na superação do analfabetismo sociológico brasileiro por meio do uso de conceitos geradores selecionados pela sua capacidade de libertar a consciência social dos oprimidos.

Referências

BRASIL, Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília, DF, 2017.

BRASIL. Lei nº 11.684. Altera o art. 36 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio. Brasília, Presidência da República, 02 jun 2008.

CARLES, Pierre. A Sociologia é um esporte de combate: documentário sobre Pierre Bourdieu. 2h26. 2001. Disponível em: https://www.youtube.com/ watch?v=41W3RapeK5Q

CARVALHO, Lejeune. M. G. Sociologia no Ensino Médio: Desafios e Perspectivas. São Paulo: Anita Garibaldi, 2015.

CARVALHO, Lejeune M. G. (Org.). Sociologia e Ensino em Debate: experiências e discussão de sociologia no ensino médio. Ijuí: Editora Unijuí, 2004.

CIGALES, Marcelo Pinheiro. O Ensino da Sociologia no Brasil: Perspectiva de análise a partir da História das Disciplinas Escolares. Revista Café com Sociologia. V. 3, n.1, Jan/abril, 2014.

DOURADO, Ivan Penteado. Institucionalização do senso comum opinativo brasileiro: responsabilização educativo-institucional no fechamento prematuro das consciências sociais. 2017. 290 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2017.

DOURADO, Ivan Penteado. Mediação Didática no Ensino Superior - Inventividade, níveis de abstração e o uso da metáfora como recurso didático no ensino de Sociologia. REBES - Rev. Brasileira de Ensino Superior, 2(4): 34-45, out.-dez. 2016.

ENGERROFF, Ana Martina Baron e CIGALES, Marcelo Pinheiro. Quem conta a história do ensino de Sociologia no Brasil? Um estudo bibliométrico, CABES, V.1 n.2, Jul/dez, 2017.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação; São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação; São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido, 4a Ed, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam - Coleção polêmicas do nosso tempo - São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. 6a edição, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos 1.ed. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FURIM, Mara M. F. Soares. A relação entre a “leitura do mundo e leitura da palavra” no ensino de Sociologia: estudo de caso realizado na escola estadual Vitória Furlani. Revista Refaf, v.8, n.1, 2019. p. 45-55.

GEERTZ, Clifford. Parte II, Capítulo 4 – O senso comum como um sistema cultural. In.O Saber Local - novos ensaios em antropologia interpretativa, Petrópolis, RJ, Editora Vozes, 2014.

GHIRALDELLI JR, Paulo. Introdução à Educação Escolar Brasileira: história, política e filosofia da educação (versão prévia). 2001. Disponível em: http://www.miniweb.com.br/educadores/artigos/pdf/introdu-edu-bra.pdf

MARTINS, Maria do Carmo. Reflexos reformistas: o ensino das humanidades na ditadura militar brasileira e as formas duvidosas de esquecer, Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 51, p. 37-50, jan./mar Editora UFPR. 2014a.

MEKSENAS, Paulo. O ensino de Sociologia na Escola Secundária. In: Grupo de Pesquisa em Sociologia da Educação. Leituras & Imagens. Florianópolis: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, 1995. p. 67-79.

MEUCCI, Simone. A Institucionalização da Sociologia no Brasil: os primeiros manuais e cursos [1900-1948]. 2000. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – IFCH Unicamp, Campinas, 2000.

MILLS, C. Wright. A imaginação sociológica. 4. ed. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MORAES, Amaury. Ensino de Sociologia: Periodização e Campanha pela Obrigatoriedade. Caderno Cedes, Campinas, vol. 31, n. 85, p. 359-382, set.-dez. 2011.

PARMIGIANI, Jacqueline e Dombrowski, Osmir. O Alfabetismo Sociológico: Uma contribuição para o debate sobre o Ensino de Sociologia, Tempo da Ciência, Vol. 20 N. 40, 2013.

PEREIRA, Thiago Ingrassia. Ensino de Sociologia, Educação Popular e Currículo: reflexões a partir de Paulo Freire. Revista Latitude, Vol. 15, edição especial, jan. 2021.

PEREIRA, Thiago Ingrassia. A vida ensina: o “saber de experiência feito” em Paulo Freire. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. E-ISSN 1517-1256, Edição especialXIX Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire, p. 112-125, junho, 2017.

PILETTI, N. Evolução do currículo do curso secundário no Brasil. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 22-72, 1987.

PITANO, Sandro de Castro. Jürgen Habermas, Paulo Freire e a crítica À cidadania como horizonte educacional: uma proposta de revivicação da educação popular ancorada no conceito de sujeito social. Tese (doutorado) – UFRGS, Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, Porto Alegre, 2008.

SARANDY, F. M. S. Reflexões Acerca do Sentido da Sociologia no Ensino Médio. In: CARVALHO, L. M. G. (Org.). Sociologia e Ensino em Debate: experiências e discussão de sociologia no ensino médio. Ijuí: Editora Unijuí, 2004.

Scocuglia, Afonso C. A história das ideias de Paulo Freire e a atual crise de paradigmas, 2ª edição, João Pessoa: Editora Universitária – UFPB, 1999.

Scocuglia, Afonso Celso. A progressão do pensamento político-pedagógico de Paulo Freire in. Paulo Freire y la agenda de la educación latinoamericana en el siglo XXI, Buenos Aires, CLACSO, 2001.

SOCIOLOGIA : Ensino Médio- Coleção Explorando o Ensino - Coordenação Amaury César Moraes. - Brasília : Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. 304 p. : il. ; v. 15), 2010.

Downloads

Publicado

24-12-2023

Como Citar

Penteado Dourado, I. (2023). PAULO FREIRE E O ANALFABETISMO SOCIOLÓGICO: Por uma Sociologia dos oprimidos. Cadernos Da Associação Brasileira De Ensino De Ciências Sociais, 7(1), 124–147. Recuperado de https://cabecs.com.br/index.php/cabecs/article/view/456

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.