DECOMPONDO A SALA DE AULA

experiências pedagógicas no ensino de Antropologia

Autores

Palavras-chave:

Antropologia, Educação, Ensino de Antropologia

Resumo

O ensaio tem o objetivo de explorar, através da etnografia das aulas de Antropologia em uma instituição privada de ensino superior, as possibilidades narrativas e tensões das relações do tipo objetos/sujeitos e materiais/pessoas no cotidiano da sala de aula presencial e remota. Argumento que o conceito de agência prende a ação em algum ponto (no sujeito ou no objeto) e essa fixação pode limitar a percepção de determinados eventos pedagógicos. E se a sala de aula, não fosse um reagrupamento do social, mas uma assembleia? E se em vez da agência dos objetos imaginássemos a vitalidade dos materiais? Considero que essa última relação abre alternativas para que a sala de aula não se encerre em suas paredes. Inspirado em Helen Verran (2001), dividi o trabalho em três partes: “Ensino Presencial”, “Ensino Remoto” e “Seguindo Materiais Educacionais”. As duas primeiras partes do ensaio abordam a agência dos objetos nas salas de aula presencial e as didáticas do modo on-line em decorrência das transformações educacionais a partir da pandemia da Covid-19. A última parte objetiva decompor a sala de aula, indicando que seguir os materiais e as pessoas (docentes e discentes) é perceber que ambos se juntam para contar estórias através de processos de crescimento do conhecimento desses entes ao compartilhar o mundo.

Biografia do Autor

Marcus Bernardes, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduado em Ciências Sociais na modalidade Bacharelado pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (2014).  Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal de Goiás (2016). Foi professor substituto de Ciências Sociais na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia no período de 2016 a 2018, lecionando principalmente, no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), sediado na cidade histórica de Cachoeira-BA. Foi membro e participou da construção do Laboratório de Ensino de Ciências Sociais (LABECS-UFRB) em 2017. Filiado à Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais (ABECS). É Professor de Ciências Sociais no Centro Universitário FG - UniFG, localizado na cidade de Guanambi-BA, lecionando em diversos cursos de graduação. É coordenador do Núcleo de Pesquisa em Educação e Culturas do Semiárido Nordestino (NUPEC) vinculado ao Observatório UniFG do Semiárido Nordestino. É membro do grupo de estudos Anísio em Movimento (NEAM). Tem experiência nas áreas de Sociologia e Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Antropologia da Educação, História da Antropologia e Culturas Populares.

Referências

ALMEIDA, Mauro. Caipora e outros conflitos ontológicos. In: Revista de Antropologia da UFSCar, v.5, n.1, jan.-jun., p.7-28, 2013.

FANON, Frantz. Medicina e Colonialismo. Editora Terra sem Amos: Brasil, 2020.

FERDINAND, Malcom. Uma Ecologia Decolonial: pensar a partir do mundo caribenho. Tradução Letícia Mei. São Paulo: UBU, 2022.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1 ed. 2013.

HARAWAY, Donna J. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo socialista no final do sec. XX. In: TADEU, Tomaz (org.) Antropologia ciborgue: as vertigens do pós-humano. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2009.

hooks, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Tradução de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Edutora WMF Martins Fontes, 2017.

HUI, Yuk. Tecnodiversidade. Tradução Umberto do Amaral. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

INGOLD, Tim. Estar Vivo: ensaio sobre movimento, conhecimento e descrição. Tradução de Fábio Creder. Petrópolis: Vozes, 2015.

INGOLD, Tim. Imagining for Real: enssays on Creation, Attention and Correspondence. Abingdon, Oxon; New York, NY: Routledge, 2022.

LATOUR, Bruno. Reagregando o Social: uma introdução à teoria do Ator-Rede. Salvador: Edufba; Bauru, São Paulo: Edusc, 2012.

LE GUIN, Ursula K. The Carrier Bag Theory of Fiction. In: Dancing at the Edge of the World: Thoughts on Words, Women, Places. New York: Grove Press, 1989.

TSING, Anna Lowenhaupt. O Cogumelo no fim do mundo: sobre a possibilidade de vi nas ruínas do capitalismo. Tradução Jorgge Menna Barreto e Yudi Rafael. São Paulo: n-1 edições, 2022.

VERRAN, Helen. Science and an African Logic. Chicago, IL & London: University of Chicago Press, 2001.

Downloads

Publicado

24-12-2023

Como Citar

Bernardes, M. (2023). DECOMPONDO A SALA DE AULA: experiências pedagógicas no ensino de Antropologia. Cadernos Da Associação Brasileira De Ensino De Ciências Sociais, 7(1), 37–55. Recuperado de https://cabecs.com.br/index.php/cabecs/article/view/447

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.